EDUCAÇÃO, ESCOLA E RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS: UMA APROXIMAÇÃO DA LITERATURA INFANTO-JUVENIL

Eva Aparecida da SILVA

Resumo


Ao se aproximar da literatura infanto-juvenil, por meio do livro Betina, de Nilma Lino Gomes, este artigo sistematiza algumas reflexões, fundamentadas na pesquisa bibliográfica, acerca da interlocução entre educação, escola e relações étnico-raciais, destacando a importância da representação positivada de sujeitos negros/as nas obras literárias infanto-juvenis, à medida que temos uma “escolarização da literatura” ou uma literatura escolarizada, assim como também se faz imprescindível nos livros didáticos.  No entanto, ao dar ênfase à educação escolar e ao lugar da literatura infantil e juvenil na escola, refletimos sobre o papel desse tipo de literatura no reconhecimento e na valorização da diversidade cultural, em particular a étnico-racial, na construção da auto-estima de crianças e adolescentes negros, bem como de uma identidade negra positivada. E para essa construção, a positivação do corpo e da estética negra tem fundamental importância, sobretudo o cabelo crespo e todos os significados a ele atribuídos, como retrata Nilma Lino Gomes em suas pesquisas e no próprio livro Betina. Ainda que esse processo deva trazer mudanças nas relações estabelecidas entre negros e brancos, por meio da reeducação de posturas e mentalidades racistas, tal como proposto pela Lei 10639/2003.

 Palavras-chave: Educação. Escola. Literatura infanto-juvenil. Relações étnico-raciais.



Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

  


CONFIRA O ÍNDICE DE CITAÇÕES AQUI


INDEXADORES:

 

ERIHPLUS

LATINDEX 

REDIB 

PERIÓDICOS DE MINAS 

HEIDI

ESJI

SUMARIOS.ORG

PERIÓDICOS CAPES

LIVRE

SHERPA ROMEO

DIADORIM

BIBLIOTEKSYSTEM UNIVERSITÄT HAMBURG

ICAP

 

BUSCADORES:

MIAR

ELEKTRONIK ZEITSCHRIFT

WORLDCAT

GOOGLE SCHOLAR